25 setembro 2011

08 setembro 2011

quero chegar em Ipanema

"Estou adorando São Paulo, tudo muito grandioso, organizado, boas pessoas, bons restaurantes, ótima vida noturna e cultural. Mas tem um problema: a gente anda e anda e nunca chega em Ipanema."

do poetinha Vinícius

01 setembro 2011

terei que dar?

No post do Marcelo Rubens Paiva em que ele descreve mais uma das inúmeras conversas que tem com amigas em mesas de bar, ele conta que elas divagam sobre a questão "dar". Dar ou não dar na primeira, dar por obrigação(?), dar na hora certa (???). 

Embora eu tenha trabalhado desde a adolescência e não seja uma perua fútil e consumista, estou muito longe de ser uma feminista. Continuo achando que homem é homem e mulher é mulher. E essa história de igualdade funciona muito bem quando o assunto é trabalho, mas quando o assunto é salário, mulherzices, tpm, gravidez, filhos, as coisas são diferentes. E tudo bem. Cada um aguenta a bronca de um lado. Mas sexo é sexo, não? Digo, sexo é prazer, é vontade, é o resultado do beijo bem dado, suado, bêbado, não?

A verdade é que eu nunca me conformei com essa história de mulher não poder dar no primeiro encontro - o que quer dizer no primeiro beijo. Não pode dar na primeira vez que você fica com o cara?
Que tipo de mulher acredita nisso?

Não é a maternal. Talvez a carente e insegura. A que acha que até na hora de dar é a opinião do cara e não a própria vontade que conta porque quer desespearadamente que ele ligue no dia seguinte.

Não sou a favor de dar na primeira ou na segunda vez que se fica com um cara. Sou a favor do sexo quando existe o tesão real. A vontade. Não é isso que importa? Para os homens sim. E para as mulheres deveria ser também, a não ser que ela tivesse outros planos.

Não acho que eu tenha cabeça de homem. Pois não tenho a objetividade de olhar para uma bunda e sentir vontade de dar. Aliás, não existe parte do corpo de um homem - com quem eu nunca tenha falado - que me transmita vibração sexual. O que quer dizer que preciso conhecer o cara, saber de que ideias se alimenta, o que já construiu com sua massa cefálica e o conjunto da obra, para que eu sinta vontade de beijar.

O dar é consequência do beijo, do abraço, da pegada. Se o cara não tem pegada, a gente não quer dar, se o cara é afeminado, perde-se (ou eu pelo menos perco) o tesão, se o cara pergunta se eu quero "fumar um" eu bocejo e fico com um pouco de preguiça. Cada uma reage de um jeito, o corpo, os hormônios, o cérebro, cada um tem uma resposta. Mas se estiver solteira e rolar com aquele cara incrível e quiser dar... não vai?

Que papo é esse de que homem não gosta de mulher que dá de primeira?
Homem não gosta é de mulher que tem tempo de sobra pra ficar esperando ele ligar no dia seguinte.
Arranje o que fazer: trabalhe mais, vai pra manicure, pra ioga, pro pilates, pro curso de italiano ou vá pra farmácia comprar mais camisinhas.
Uma hora ele liga.
Homem gosta sim de mulher que dá.
Homem não gosta é de mulher carente e insegura. E vamos combinar? A gente também odeia homem assim.