01 fevereiro 2010

eu sou uma farsa

Eu sou uma falsa jornalista.
Uma jornalista que não acredita em verdades absolutas.
Acredito no jornalismo literário. No jornalismo bem escrito ainda que sem importância.
Não me interessam os fatos, e sim os personagens.
Por isso, às vezes, alguns lugares me são aborrecidos.
Porque os personagens não colaboram. São chatos. Sem cor.
O que mais me agrada em uma pessoa é o humor.
Humor inteligente, sádico e até trágico.
Alguém com humor pode falar até sobre economia.
Quem tem humor é sexy.
Acontece que descobri a grande sacada. Descobri por que motivo essas pessoas são tão raras.
Para se ter humor é necessário antes se ter segurança, conhecimento e empatia.
Então me perguntariam: e a tal veracidade jornalística?
Acredite em mim: as maiores verdades são ditas em tom de brincadeira.
Sempre.

5 comentários:

Mateus disse...

as maiores verdades são ditas em tom de brincadeira... hmmmmm é verdade!

que nem aquela vez que eu falei pra uma guria que eu gostava dela e ela riu de mim.... eu disse: eh, hehe, ainda bem q tu sabe q é brincadeira. ¬¬

Pattiê que fica, disse...

Ju, tem uma frase do Nietzsche que diz: a potência intelectual de um homem pode ser medida pela dose de humor que ele é capaz de usar diariamente.

Assino embaixo do se post, apesar de não ser jornalista... rsrs

Beijos querida!

Anônimo disse...

Mandou bem em seu comentário, Mateus... Ju, parabéns pelo post.

Lara

Anônimo disse...

O bom humor e o melhor que eu ofereço para os meus amigos.A VIDA E BELA, NÃO FIQUE MAL HUMORADO COM ELA, SORRIA SEMPRE.
MARLENE TABAJARA RRRSSS

Juliana Menz disse...

Mateus, volte a me visitar por aqui!
E Bruna, concordo plenamente com Nietzche. E contigo. :)
Lara e Marlene, sigam colocando seus pontos de vista por aqui. Serão bem vindos!

=)